Conheça um pouco da história do Poeta Cantador Agostinho Oliveira

im-5

“Cantoria pra mim é cultura, tradição, não pode ser esquecida, a cantoria é a identidade do povo. E um povo sem cultura é um povo sem identidade”.

Agostinho Firmino de Oliveira, natural Lavras da Mangabeira – CE, nasceu no dia 22/01/1968, filho de Raimuna Silva de Oliveira e Bonifácio Firmino de Oliveira. Atualmente, com 49 anos, o poeta reside na cidade de Juazeiro do Norte – CE, onde mudou-se em 2006.

Iniciou na cantoria influenciado por seu primo Luiz Cândido, que também era poeta – “foi ele que descobriu o meu dom” -, por volta dos 13 aos 14 anos de idade. E foi brincando de fazer rima que por volta dos 18 anos iniciou, de fato, no mundo da cantoria. Período este que residia ainda no município de Lavras da Mangabeira.

Ainda sobre sua herança poética havia seu pai que também era poeta, este não cantava, mas era grande admirador da cantoria e escrevia versos. E por fim um tio chamado Manoel Cândido, outro cantador.

Ao lhe perguntar sobre os principais aspectos da cantoria no qual enxerga nos dias de hoje o poeta diz que o público de hoje é um público mais conhecedor – “mais avançado” – tem mais conhecimento sobre os assuntos que são cantados. o que exige dele um maior conhecimento sobre tudo. E que:

“Muita gente ainda tenta esconder as culturas, as raízes, mas essa cultura da gente hoje está, ao meu entender, mais divulgada, porque o cantador tem acesso a tv, a rádio, que antigamente não tinha. Antes o Cantador viajava sem rumo e hoje não, quando ele vai a uma viagem ele vai com compromisso fechado; certo. Por que tem a internet, a rádio a favor, tudo isso incentiva e divulga a cultura”.

O poeta possui 4 CD’s gravados no qual canta sozinho, e um acompanhado do poeta Zé Ari. Além disso possui um DVD na qual canta ao lado de vários outros cantadores, como Zé Viola, Silvio Grangeiro, Nascimento Araújo, entre outros. Atualmente trabalha num programa de rádio na Rádio Verde Vale todos os dias úteis da semana, de 12:00 à 12:30, ao lado dos poetas Nascimento Araújo e Francinaldo Oliveira.

Lamenta pela cantoria não ter um espaço tão aberto para os grandes eventos e não ser tão valorizada pelas políticas públicas, para ele “a cantoria deveria estar numa situação melhor, muita gente tenta esconder o valor do artista”.

Afirma ser importante a presença da cantoria nas escolas, pois acredita que os alunos desenvolvem esse lado cultural e aperfeiçoa o senso crítico cada vez mais tendo contato com o cantador. “Essa cultura da gente é uma cultura que cabe em todo lugar”.

Finaliza a entrevista dizendo que valoriza o trabalho que realiza, que o faz com muito amor, pois a recompensa vem do povo. “vivo satisfeito na área cultural, graças a Deus”.

IMG_0075

(A entrevista aconteceu no dia 04/07/2017 na rádio Verde Vale para o projeto De Repente em Ação).

Contato do poeta para shows: (88) 99650.4707

css.php