Conheça um pouco da história do Poeta Cantador Beija-Flor

eap

“Sou poeta porque nasci para ser”

Beija-Flor, ou Valdevino Vicente do Nascimento (nome de batismo), é filho de Iracema Maria de Jesus e do cantador Raimundo Vicente Santana (conhecido como Borborema do Norte). Nasceu no distrito de Santa Cruz na cidade de Aurora-CE, no dia 22/10/1941. Atualmente, aos 77 anos de idade, Beija-Flor já deixa seu nome registrado na história da cantoria.

Seu pai iniciou muito cedo na profissão de cantador e acabou, despretensiosamente, influenciando seu filho a seguir também na profissão. Entretanto, Borborema não queria que Valdevino fosse cantador, pois afirmava não ser uma boa profissão. Beija-Flor relembra que questionava seu pai: “Se a profissão não serve, porquê o senhor não abandona?”, ou ainda: “Porque o senhor quer pra si uma profissão que não serve?”, e seu pai sempre respondia: “é meu filho, eu comecei e não deixo mais não”, de fato assim permaneceu até a sua morte.

Por volta dos seus 18 ao 20 anos de idade, o ainda Valdevino decidiu fugir de casa. Ainda residindo na cidade de Aurora, recorda-se que trocou um cavalo de sua pertença por uma viola e fugiu para o estado do Maranhão, local onde passou 18 meses. Nessa ida, conseguiu, através da cantoria, juntar um capital financeiro capaz de comprar uma casa para o seu pai e outra para si, fato que ocorreu por volta de 1960 quando retornou à cidade de Aurora.

A partir deste ocorrido, provando ter sucesso na profissão, conseguiu a aprovação de seu pai para ser cantador, tanto que por muito tempo fizeram dupla. Nestas ocasiões, Beija-Flor revela que juntos cantavam várias modalidades, exceto desafio, não importasse o quando o público pedisse. O motivo para tal, segundo o mesmo, era o respeito que ambos tinham um pelo outro. “Uma coisa que a gente não cantava era desafio. Eu respeitava o meu pai e ele me respeitava também, graças a Deus”.

Um fato curioso é o significado do seu nome artístico [Beija-Flor], Valdevino explica que possui esse nome pelo fato de seu pai ser conhecido por Borborema. Conta que alguns amigos do seu pai procuravam um cognome que pudesse ter relação com o cognome do seu pai. Começaram então a chamá-lo de Beija-Flor, pois explica que Borborema é também um pássaro do sertão. Foi aí que surgiu a dupla Beija-Flor e Borborema.

Beija-Flor encerrou sua profissão no ano de 2017, após 30 anos de profissão, cantando pela última vez na cidade de Natal-RN. O motivo está ligado a problemas de saúde, principalmente relacionados com a visão, impedindo-o de continuar atuando profissionalmente na cantoria. Com a despedida dos palcos, Beija flor conta com muita tristeza que despediu-se também de sua viola, dando-a para seu filho, um cantor. “Dei ao ‘menino’, ele pegou, entrou no carro dele aqui e eu fiquei com as lágrimas descendo”, e se recorda que fez um último pedido: “zele minha viola”. Mas completa: “Dei e não me arrependi, porque se era de dá a outro ou vender, eu dei para ele que tá em casa”. Confessa que se tivesse condição de cantar, ainda estaria cantando.

Afirma que seu público o considerava um grande cantador, e que isso só aconteceu porquê esse mesmo público deu a cobertura necessária ao seu nome. “Se ele for cantador e não agradar ao povo, nada feito, não é cantador” – falou referindo-se a si mesmo.

Beija-Flor mudou-se para a cidade de Juazeiro do Norte a aproximadamente 10 anos, aqui fez e faz atual morada. Trabalhou com programas de cantoria na Rádio Progresso em Juazeiro do Norte ao lado do Cantador Moacir Carneiro, Rádio Iracema (Juazeiro do Norte) e por 2 anos na Rádio Iracema de Fortaleza-CE.

Possui atualmente alguns trabalhos gravados ao lado do poeta Silvio Grangeiro, Zé de Caldas, Moacir Carneiro, Zé de Freitas e Zé Francisco, entre outros. Tem também um trabalho gravado em fita cassete com o cantador Valdir Palmeira.

Beija-Flor conclui dizendo que o verdadeiro motivo dele ser um poeta é porquê “é um dom de nascimento que vem do meu pai e do meu avô, é chave de sangue, sou poeta porque nasci para ser, Deus me deu esse entendimento e eu dei para a profissão, graças a Deus”.

.-.

(A entrevista aconteceu no dia 06/09/2018 em sua residência, em Juazeiro do Norte-CE, para o projeto De Repente em Ação).

css.php