Conheça um pouco da história do Poeta Cantador Moacir Carneiro

IMG_3841

“Me sinto bem satisfeito, sempre gostei de incentivar a quem vem chegando, para que cresça sempre mais”.

Moacir Carneiro Lima nasceu na cidade de Teixeira-PB, cidade esta já reconhecida pela forte tradição de poetas repentistas e cordelistas, no dia 08/08/1952. Filho de Jovita Maria e José Carneiro Lima, Moacir Carneiro dedica-se a 50 anos a arte do repente, residindo atualmente na cidade de Juazeiro do Norte-CE.

Seu início na Cantoria deu-se de forma muito natural. Conta que ouvia os repentistas improvisando e que através desta escuta começou também a improvisar. Nessa época, aos 15 anos de idade, comprou um violão e iniciou a praticá-lo, junto aos versos que já começava a fazer. Desde então o poeta conta que viu-se decidido a seguir a arte da cantoria. Salienta ainda que nessa época não tinha contato com Tv e rádio, então tudo que aprendia e ouvia eram das cantorias que hora ou outra aconteciam numa das zonas rurais do Crato (local em que residia até então).

De lá pra cá Moacir Carneiro dedicou-se fielmente às cantorias, festivais, pé de paredes e demais eventos que era convidado a se apresentar, participando principalmente de cantorias na própria região do cariri, principalmente nos municípios de Nova Olinda e Santana do Cariri – ambos no estado do Ceará – local em que, segundo ele, cantou com mais frequência.

Durante esses últimos 3 anos, o poeta esteve desligado da profissão de cantador. Isto se deu pela sua ida à cidade de Jales-SP, à tratamento de saúde, no qual precisa, ainda, realizar uma cirurgia na região nasal. Entretanto, Moacir retornou ao cariri no início de 2018 e está disposto a continuar com seus trabalhos de cantador, onde ele mesmo relata: “a cantoria é minha profissão, não sei fazer outra coisa, eu só sei cantar“.

Quando esteve em São Paulo Moacir Carneiro encontrou-se com outros violeiros. Na oportunidade, pôde tocar a viola Nordestina ao lado dos que tocavam a Viola Caipira, cada um cantando improvisos ao seu modo. Lá comprou também a viola no qual apresenta-se atualmente.

Para o poeta, saber ler é um detalhe que não deve ser enxergada como obrigatória na profissão da cantoria, pois o dom da poesia é suficiente para que o cantador consiga sobreviver da arte, desde que a tenha. E que nesse quesito ele mesmo se considera um bom cantador, mas que além dele o público também o considera, e completa “sei escrever e ler muito pouco, mas a cantoria eu sei fazer“.

Segundo ele pelo menos 70% das cantorias caíram de atividade, e que hoje não acontece com a mesma frequência de antes. Além disso, a presença da maior parte dessas cantorias existentes estão, segundo ele mesmo, na zona rural, onde há maior presença das renovações e outros festejos dessa natureza.

Revela ainda que sempre gostou de incentivar os novos cantadores, até para que haja sempre mais o número de poetas. Sobre ter sido citado pelo poeta Cicero da Silva, como um dos que lhe ajudaram no inicio da arte, ele diz: “me sinto bem satisfeito, eu sempre gostei de incentivar a quem vem chegando“.

O poeta não possui trabalho oficial gravado, mas já fez inúmeras cantorias ao lado de grandes poetas da região do cariri. Além disso, possui na família mais dois irmãos repentistas, Júlio Carneiro e Luciano Carneiro, ambos residentes na cidade de Crato-CE.

Ao fim da entrevista Moacir concluiu com a seguinte fala: “Meu trabalho eu garanto de apresentar em qualquer parte“. E de fato comprova isso através de suas histórias e suas rimas cheias de desenvoltura e afeto.

IMG_3875

A entrevista aconteceu no dia 17/04/2018 em sua residência, em Juazeiro do Norte-CE, para o projeto De Repente em Ação

Contato do poeta para shows: (17) 98206.9206

css.php