Conheça um pouco da história do Poeta Cantador Zé Francisco

foto-1

“Me sinto realizado na profissão, alcancei graças a Deus o sonho que eu desejava no mundo da cantoria”

José Gonçalves Pereira, ou Zé Francisco, como é conhecido profissionalmente, nasceu na cidade de Mauriti – CE, no ano de 1957, filho de Francisco Basílio Gonçalves e Maria Emília da Conceição. Em Mauriti residiu até seus 36 anos, quando mudou-se para Juazeiro do Norte – CE no ano de 1993, cidade na qual mora atualmente. Com 60 anos de idade faz da cantoria sua única profissão de vida.

Zé Francisco iniciou a profissão de cantador no ano de 1974, quando morava ainda na cidade de Mauriti, e orgulha-se por lembrar detalhadamente de suas primeiras cantorias, como a data, local e o valor obtido.

A primeira (cantoria) que fiz foi no dia 02 de Agosto de 74, na casa do meu próprio pai no município de Barro […] a cantoria rendeu 20 mil cruzeiros na época. No dia 02 de Setembro do mesmo ano, no caso com 30 dias depois, fiz a segunda cantoria, essa deu 35 mil cruzeiros, com o mesmo parceiro. A terceira cantoria foi na casa do pai desse companheiro, também no município de Barro, essa deu 46 mil cruzeiros, já subiu mais um pouco”.

A partir daí o poeta começou a excursionar pelo sertão. Foi durante essas viagens que Zé Francisco foi conhecendo outros cantadores e ganhando experiência, levando seu nome como repentista. Diz não ter herança poética por parte de pai, como ele mesmo brinca – “parece que a estrela não brilhou muito desse lado” -, em compensação, do lado materno, possuíam muitos poetas, na qual o fez crescer rodeado de primos cantadores.

Durante esses anos de trabalho teve dois CD’s gravados com outro poeta da cidade de Barro – CE e um DVD com o poeta Zé de Freitas da cidade de Juazeiro do Norte. Este DVD traz um apanhado de gravações realizada nos diversos festivais que pôde cantar ao lado deste poeta.

Durante sua entrevista o poeta lamentou o fato da cantoria não ser tão apoiada pelas políticas públicas caririenses, e completou dizendo que seu verdadeiro público está no campo, local no qual é muito convidado a fazer shows. Reafirmou que foi nesse espaço que pôde encontrar um público que realmente apreciasse a arte do cantador. Sobre os shows o poeta disse que em períodos de chuva (janeiro a março) há uma demanda maior de trabalho, por tratar-se do período de safra, em contrapartida nos meses subsequentes há uma baixa nas apresentações.

O poeta salienta a importância de levar os conteúdos da cantoria para as Escolas e as Universidades, segundo ele “a cultura é uma coisa que só traz desenvolvimento”, e reafirma que “os professores e os mestres devem chamar mais cantadores, mais duplas para fazerem mais shows nesses espaços”. E se coloca disponível a levar sua arte para onde for chamado.

Agradece a Deus pelo patamar que a cantoria o elevou, reconhecendo não ser o um dos melhores cantadores mas sentindo-se realizado na profissão.

foto-2

(A entrevista aconteceu no dia 27/06/2017 na rádio Verde Vale para o projeto De Repente em Ação).

Contato do poeta para shows: (88) 99951.1033

css.php