Conheça um pouco da história do Poeta Cantador Chico Pereira

IMG_4980

“Graças a Deus onde passei só deixei alegria”.

Francisco Pereira de Andrade é o nome completo do poeta Chico Pereira. Filho de Cecília Maria de Souza e Nelson Pereira de Souza, Chico Pereira nasceu na cidade de Crato-CE, no sítio Lagoa dos Faustinos, no dia 02/08/1951. Atualmente reside no distrito de Dom Quintino, também no município de Crato-CE.

Durante a infância Chico Pereira trabalhou nos campos de algodão, e, como não achava o trabalho muito pesado, conta que brincava de compor versos. Conseguia também decorar com muita facilidade os versos que ouvia nas cantorias que frequentava. “Eu via aquele movimento, aí quando eu vinha no caminho eu já decorava o que eles cantavam, daí já vinha cantando”. Descobriu, por conta própria, que tinha o Dom da poesia.

Com aproximadamente 16 anos de idade, Chico Pereira já era um frequentador assíduo das Cantorias na localidade em que morava. Aliás, começou muito cedo a participar como ouvinte das cantorias entre os poetas, entre os quais destaca os irmãos Bandeira. “As primeiras cantorias que comecei a assistir foram dos Bandeiras, inclusive o Pedro ainda é parente dos meus pais”. Foi através desse contato que aos 18 anos de idade Chico Pereira comprou sua primeira viola, iniciando sua profissão de cantador.

Chico Pereira afirma que um bom cantador deve ser aclamado pelo público, ele, por si só, não deve se colocar na categoria de grande cantador. Ainda segundo ele, sua imagem sempre foi muito aclamada pelo seu público. “Graças a Deus onde eu faço meu trabalho Dom Quintino fica bem representado”.

Atualmente, Chico Pereira não faz da Cantoria sua profissão, dedica-se, quase que exclusivamente, aos trabalhos da igreja que frequenta. Porém, não abandou a viola por completo, revela que sempre está presente improvisando versos quando há alguma comemoração. “Quando tem, assim, um aniversário de um crente, uma festividade assim, eles me mandam cantar ‘uns repente’”. Normalmente apresenta-se ao lado de outro cantador da cidade de Crato, o José Duda, no qual é também evangélico. Nesses encontros acabam sempre cantando temas relacionados aos ensinamentos bíblicos.

Para o poeta, as diferenças entre as cantorias de hoje para as que eram realizadas a algumas décadas atrás não são tão evidentes. Afirma que há muitas duplas boas exercendo a profissão, e que para ser um bom repentista é preciso que haja conhecimento. Segundo Chico Pereira, quanto mais conhecimento e mais domínio de conteúdo, maior será o sucesso do cantador, e que hoje, com a presença constante da internet, esse acesso ao conhecimento ficou muito mais fácil.

Chico Pereira relata um fato interessante que ele pode vivenciar durante esses anos de carreira, segundo ele após a chegada da televisão a Cantoria passou a perder parte do seu público, e que isso só se intensificou com a chegada do celular. Afirma que é comum as pessoas procurarem entretenimento nos aparelhos telefônicos, deixando a Cantoria e outras práticas da Cultura popular de lado. Por outro lado, reconhece que tanto a TV como a internet ajudaram a divulgar a imagem do próprio cantador, uma vez que os poetas começaram a adquirir também esse espaço.

Tratar da Cantoria e da Cultura popular nas escolas, é, na sua opinião, de suma importância. “É muito importante porque é uma grande culturas, e eu acredito que ela vai muito na mente das pessoas, eu acredito que quem só escuta esses ‘sonzão’ não colhe o tanto que colhe com o que os poetas estão cantando”. Porém, lamenta que isso não ocorra com tanta frequência. “Faz uns 10 anos que uma diretora de uma escola me chamou para uma apresentação. É uma raridade”.

O poeta afirma que a participação das políticas públicas, de forma à contribuir e incentivar com a cultura dos poetas, é praticamente zero. O maior engajamento ocorreu durante os antigos festivais que ocorriam no Cariri.

Não possui CD ou DVD gravado, mas confessa que é desejo dos seus irmãos de igreja que ele grave um CD com temáticas góspeis, mas que em relação a isso matem-se muito cauteloso, pois, espera uma confirmação da vontade de Deus acerca disto.

Chico Pereira também possui outros familiares que também são poetas, principalmente no estado da Paraíba, local de nascença dos seus pais. Participou de muitos programas de rádio ao lado de inúmeros poetas durante sua carreira, entre eles o poeta Pedro Bandeira e o poeta Zé Ari, no qual destaca que o mesmo costumava cantar uma de suas canções, o “Não vendo mais boi de carro”.

“Sou poeta porque Deus quis, e eu não podia interferir”. Chico Pereira resume sua trajetória na poesia como sendo uma trajetória muito feliz. Por mais que a cantoria não seja mais sua profissão mostra-se ainda muito ligado a ela, e afirma algo que para ele é muito importante: “uma coisa muito importante que aconteceu na minha vida é que onde fui eu soube entrar e soube sair”.

IMG_4974

(A entrevista aconteceu no dia 27/09/2018 em sua residência, em Dom Quintino; Crato-CE, para o projeto De Repente em Ação).

Contato do poeta para shows: (88) 99734.7811

css.php